Crítica: Entre Abelhas (Idem, 2015)

por Amenar Costa

porchat

Na minha última publicação aqui no blog, falei sobre “Capoeira Kid”, uma brincadeira bem humorada dos nossos produtores locais da “+1! Filmes”, com quem também batemos um papo interessante sobre produção, estratégias, divulgação e mercado. Daí você pergunta: O que “Entre Abelhas” tem a ver com isso? Calma que eu chego lá.

Escolhi falar sobre esse filme em especial, pois acho interessante observar a gradação e trajetória do pessoal por trás desse produto. “Porta dos Fundos” foi criado em 2012, reunindo alguns nomes já conhecidos pelo público, como Clarice Falcão e Fábio Porchat, e outros tantos que acabaram tornando-se referenciais quando se trata de crítica, humor, internet, humor na internet – e em algumas outras plataformas.

O enorme sucesso atingindo pelo canal (que conta com vídeos semanais) impulsionou seus membros e seus produtos em projeção tamanha, que o canal passou a ter um programa especial exibido na TV fechada pela emissora FOX (com conteúdos exclusivos para TV), um livro, um DVD e até uma possível adaptação cinematográfica – que pode ser lançada ano que vem. Tornou-se um case de sucesso ambulante, que andou redefinindo padrões para produções seriadas na web no mesmo movimento seguido pelo pessoal da “+1! Filmes” aqui na Bahia.

Uma vez com os devidos pontos ligados, cabe agora passear pelo objeto de análise: O longa “Entre Abelhas”, dirigido por Ian SBF. Ian, também diretor e roteirista de vídeos do canal “Porta dos Fundos”, assume o comando de uma dramédia simpática, consistente e surpreendentemente madura – uma vez que ponderamos tanto a temática (e histórico de produção do diretor) quanto o cenário de produções de distribuição Globo Filmes.

4133474_x240

Não se enganem: “Entre Abelhas” é um drama com quês de comédia, e não o contrário – e o que destoa aqui, na maioria das vezes, é a comédia. É interessante perceber não só essa mudança considerável no gênero que vinha sendo trabalhado pelo diretor, como também no entendimento do próprio sobre as diferentes linguagens em questão – web x longa metragem.

Ian é sensível (e didático) ao lidar com o conflito do seu protagonista, que aos poucos vai deixando de ver (e/ou perceber) as pessoas a sua volta, que vão desaparecendo (e morrendo) proporcional à naturalidade com que esse fenômeno é tratado – o que não deixa de ser uma grande metáfora para a vida e comportamento contemporâneos. Ele é competente ao conduzir momentos de carga dramática oposta, que brinca com a condição do protagonista, mas que logo após se mostra ciente do peso dramático da mesma – e com um elenco contido e equilibrado que sabe acompanhar essas alternâncias de tom, contando com o carisma e competência de Irene Ravache, o grande destaque dessa produção – que tem nos créditos vários nomes do pessoal do Porta.

Em suma, vejo essa obra como algo destacável no cenário de produções atuais (de grande escala), geralmente perdidas em comédias sem graça e continuações de comédias sem graça. O mercado de produções nacionais tem a comédia como seu forte mercadológico, e é interessante ver produções como “Entre Abelhas” se utilizando desse trunfo para se vender, mas logo em seguida burlar e bagunçar com esse mercado, possivelmente abrindo novas portas e janelas de produção – dessa vez entrando pelas portas da frente, espero eu, como um convidado bem-vindo.

Cotação: 3/5

Trailer:

Ficha técnica:

Entre Abelhas 2015 – cor – 100 min

Direção: Ian SBF – Roteiro: Ian SBF e Fábio Porchat – Elenco: Fábio Porchat, Giovanna Lancellotti, Marcos Veras, Irene Ravache, Letícia Lima